quinta-feira, 15 de maio de 2008

Imagem e Som - A cigana e os Bandolins

Bandolins

Oswaldo Montenegro
Composição: Oswaldo Montenegro
Como fosse um par que
Nessa valsa triste
Se desenvolvesse
Ao som dos Bandolins...
E como não?
E por que não dizer
Que o mundo respirava mais
Se ela apertava assim...
Seu colo como
Se não fosse um tempo
Em que já fosse impróprio
Se dançar assim
Ela teimou e enfrentou
O mundo
Se rodopiando ao som
Dos Bandolins...
Como fosse um lar
Seu corpo a valsa triste
Iluminava e a noite
Caminhava assim
E como um par
O vento e a madrugada
Iluminavam a fada
Do meu botequim...
Valsando como valsa
Uma criança
Que entra na roda
A noite tá no fim
Ela valsando
Só na madrugada
Se julgando amada
Ao som dos Bandolins...
(penso nessa música e me vem a imagem de uma bela jovem em trajes ciganos dançando, ora batendo com um pandeiro nas ancas, ora com os braços pro alto, rodopiando, com um sorriso largo, brindando ao amor, a vida...)
Danças pra mim
ao som dos bandolins
mostra tua sensualidade
doce cigana... infame dançarina
à luz de uma grande fogueira,
teus pés descalços,
essa saia longa vermelho encarnado,
os ombros desnudos nessa blusa branca,
tua boca carmim,
teus cabelos longos, negros,
esvoaçando... o breo da noite
o perfume sensual no ar...
e teus olhos...
olhos felizes e marejados de saudades,
de teu amor...
Ahh, o teu amor!

Um comentário:

  1. Lindo, sensual, muito envolvente. A gente se deixa levar...

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário, deixo meu beijo antecipado. Volte sempre!!!